29/01/2011

Desejo 4º Livro

Livro - Desejo
Cap - 16
Autora - Milane Matias

PS - Quarto livro de minha saga. Michael e Sophie estão fugindo de Vitor (Vilão) Quando Michael abre mão de se salvar para salvar Sophie...
Espero que gostem. Beijos.


___________________________________________________

Desejo



— O que está fazendo? — Sussurrei cansada. — Vamos correr, vamos nos esconder, em minutos o outro grupo está chegando.
— Não temos essa questão de minutos, Sophie. Quero que faça o que eu mandar. — Michael falou firmemente.
— Não. — Falei sentindo as lágrimas tomarem conta de meu rosto. — Por favor, não me deixa, não me diz que vai fazer o que estou pensando.
Supliquei.
— Vou impedir o Vitor de se aproximar de você. Quero que pegue isso. — Michael falou enfiando a mão no bolso e tirando uma chave. — Se esconda, siga direto, tem uma área mais aberta logo em frente, depois você vai ver uma casa, ela não é cercada, entre e se esconda, fique lá até o grupo chegar.
Michael falou esticando a mão para me entregar a chave. Olhei para ele incrédula.
— Eu não vou deixar você. Não vou. — Falei recusando a chave. — Vamos correr, antes que o Vitor chegue.
Disse eu enquanto puxava Michael, mas ele não saiu do lugar, suspirou cansado e me puxou. Abraçou-me com força.
— Não. — Implorei chorando. — Não vamos nos separar, não podemos. Michael, e se eu não te ver nunca mais depois disso. O que vou fazer? O que será da minha vida? — Falei passando meus braços sobre o corpo de Michael e puxando ele para mais perto de mim. Sentido o cheiro dele como se fosse à última vez, sentindo o abraço quente, o corpo grande. Eu estava fazendo daquilo uma despedida. — Eu não vou, irei ficar com você.
Comecei a sentir minhas lágrimas molharem o casaco de Michael.
— Se você não me ver mais depois disto? — A voz dele baixa era um choque em meu corpo. — Guarde as boas lembranças, saiba que te amei e amo mais que minha vida, nunca me esqueça, pois eu nunca vou te esquecer. Guarde o melhor de mim.
Michael colocou a chave dentro de meu bolso.
— Não. — Minha voz ainda era suplicante meu choro era lamentável.
— Por favor, Sophie, não temos tempo, vá. Eu te amo!
Ele disse beijando minhas testa por alguns segundos.
— Michael! — Falei segurando as mãos dele. — Estou viva apenas por você, se você morre, eu morro, então não faça isso terminar em um desastre. — Falei beijando os lábios dele. — Eu te amo!
— Agora vá. — Michael falou firmemente.
Eu estava pronta para ir embora, até que uma voz alucinada, cheio de ódio, de pavor, de liderança, soou em um eco.
— Ninguém vai embora!
Michael me puxou para trás dele. Sussurrou algumas palavras com ódio. Tudo que eu fazia dava errado. Se eu tivesse escutado o Michael, e tivesse ido embora antes, talvez eu estive salva e o Michael também. Que além de se proteger do Vitor, teria que proteger a mim.
— Sentiram falta do louco, aqui? — Vitor falou com sarcasmo. — Sophie, minha querida, não sabe o quanto desejei esse encontro.

____________________________________________________


28/01/2011

Lembranças 3º Livro


Livro - Lembranças
Cap - 15
Autora - Milane Matias

PS - Terceiro livro de minha saga. Sophie pede a ajuda de Michael para tomar uma atitude certa em uma decisão que deve ser tomada em pouco tempo, e acaba por ganhar declarações. E por ser declarações dá para vocêS entenderem legal. Menos a parte que ela fala sobre uma "Sociedade"...
Espero que gostem. Beijos.


______________________________________________________________________

Lembranças



— Não importa o que escolheria, nem o que eu escolhi. Nada disso importa. — Michael esbravejou. — Porque meu coração escolheu você e, no fim do dia, no fim da história eu ainda te amo. Indiferente do que você escolha, eu sempre vou amar você, sempre vou te querer.

Ele me olhava sério. Meus ossos derreteram naquele exato momento. Não havia dúvidas do que eu queria, havia apenas medo. Medo daquele amor tão grande, medo da sociedade, medo do futuro.

— Eu te amo. — Sussurrei.

— Eu prometo sempre está ao seu lado. — Ele aproximou os lábios dele aos meus.

O beijo ainda era dono do mesmo sabor. Doce como mel, macio como veludo. Naquele momento eu tive novamente a certeza de uma coisa.

— Você está dentro do meu coração! — Falei assim que o beijou terminou.

— Eu sei! — Ele sorriu.

— Então sabe também que só cuido do meu coração pelo fato de você está nele. — O abracei.

Implorei para que o tempo não passasse, porque com o Michael meus problemas não me atormentavam.

A minha vida toda eu amei, amei por uma opção minha, eu via que as pessoas eram legais, e tinham afetos por mim, então eu as amava, elas me cativavam. Entretanto com o Michael era diferente eu o amava por ser uma obrigação. Uma obrigação onde não havia esforços, eu simplesmente o amava. Indiferente do que ele fazia ou dizia. O amor dele nasceu fácil dentro de mim, uma semente plantada que cresceu rápido. Criando raízes que se prenderam em meu coração. E seu eu arrancar a raiz, o coração vem junto. Um tumor maligno que me faz extremamente bem.

— Quer ir embora? — Ele perguntou.

— Não! — Sussurrei.
Eu não era somente uma, Michael me completava em todos os sentidos eu queria que fosse para sempre. Afinal eu estava entregue a ele...


_________________________________________________________




Despertar 2º Livro


Livro - Despertar
Cap - 10
Autora - Milane Matias

PS - É o segundo livro, continuação de Sonho, talvez vocês não entendam muito. Mas, nesse livro, nesse capítulo, Sophie está doente, e Michael está cuidando dela.
É apenas um pedacinho, espero que gostem.


______________________________________________

Despertar



Sentei-me mais perto de Sophie, e a deitei sobre meu corpo, o seu coração estava desordeiro, completamente fora do ritmo certo. Sophie repousou a cabeça em meu pescoço, e o cheiro de flores do cabelo dela revirou minha mente.
— Tem que levantar, tem que tentar um pouco mais.
Meu corpo tremeu. Um tremor que começava em minhas costas e se espalhava por todo corpo.
— Acho que não quero. — Ela falou em sussurros.
Sophie estava desistindo de tudo.
— Não pode me deixar. — Apertei seu corpo com força.
— Por quê? — A voz dela sumiu, não ficou nenhum eco, nada.
— Porque você é o meu ponto de equilíbrio! — As palavras que um dia saíram da boca dela, agora saiam da minha, com o mesmo propósito. Fique e lute, por mim, por nós!
Um tempo depois Sophie dormiu, seu coração ficou com uma batida certa. O que de certa forma foi uma alívio, ela parecia mais calma.
Fiquei preso entre o momento que eu me via, observando Sophie dormir em meus braços. Ela parecia tão desprotegida. Ninguém a tocaria, não enquanto eu existisse. Meu anjo dormindo em meus braços. Existe algo mais glorioso?
Era noite, Sophie havia dormido quase o dia todo. Seu corpo ainda estava deitado sobre o meu, mas havia algo de errado. A mão dela que estava junta a minha, agora soava muito. A respiração era muito prolongada e forçada, as batidas do coração dela pareciam lentas.
— Sophie? — Chamei seu nome.
Eu fui inútil, me culpei com ódio de mim, com ódio do Vitor, e até mesmo ódio dos pais dela, por terem nos afastando.
Coloquei-a deitada na cama, a face dela estava mais pálida que o normal.
— Sophie? — Minha voz saiu mais firme, eu a balancei, mas ela não acordou. O corpo era mole, como uma boneca de pano.
— Você não vai fazer isso. — Exclamei pegando a chave do meu carro, e colocando no bolso.
_____________________________________________________

Sonho 1º Livro


Livro - Sonho
Cap. - 10
Autora - Milane Matias

Oi gente, então nunca posto nada sobre meu livro, então hoje, decidi fazer um post, com o primeiro beijo de Michael e Sophie, espero que gostem, beijos!

_______________________________________________________________

Sonho



A brisa que tocava a árvore era como uma melodia, fazendo as folhas dançarem. Assim que a brisa ficou fraca, o chiado das folhas ficou calmo, e lento.

Era preciso apenas uma palavra, uma ordem, um instante, para que nós nos beijássemos. Era como se houvesse um linho fino, delicado e transparente, que nos prendesse. Eu tentava olhar para o lado, mas não conseguia. Michael olhou profundamente os meus olhos.

— Seus olhos, são duas estrelas brilhando para mim.

Ele falou em um fio de voz, se tornando um sussurro.

Dei um passo para frente me aproximando dele e fechei os olhos.

— Não dá para viver longe de você. — Pausei um pouco em cada palavra. Aquilo estava preso dentro de mim.

Depois disso senti a mão do Michael apoiar em minhas costas, meus olhos permaneceram fechados, ouvi o som dele pisando na grama, ele havia dado um passo para frente.

Senti o nariz dele se encostar a meu maxilar lentamente. Arrepiei-me. Eu sentia a respiração quente dele passar pelo meu pescoço. Puxei ar pela boca, soltei levemente pelo nariz. A outra mão dele segurou meu rosto, senti delicadamente os lábios dele se unirem aos meus. Envolvi meus braços sobre o pescoço dele, que soltou meu rosto e segurou minha cintura.

Era uma união perfeita. Era como se meus lábios tocassem as nuvens. Lentamente ele afastou seu rosto do meu. Permaneci com os olhos fechados, mas senti que o Michael sorria. Não senti meu corpo, não senti mais nada, eu estava anestesiada.

— Você é perfeita, linda, inacreditável, acho que é por isso que me apaixonei. — A voz dele era firme e grossa.

— Você me ama? — Sussurrei.

Tive medo da resposta, mas eu precisava ouvir da boca dele uma confirmação, dependendo da resposta, eu me aprofundaria mais, ou começaria a nadar para fora. Abri os olhos.

— Amo! — Ele assentiu.

Nunca senti tanta sinceridade nas palavras dele.

— Ama como?

O pressionei um pouco, mas eu realmente precisava daquela resposta. Minhas camadas e mais camadas de proteção se abriam para alguém.

— Posso explicar o sabor de frutas, a sensação da dor, mas meu amor por você é maior que qualquer outra coisa, eu não consigo explicar.

O senti frustrado, como se não conseguisse controlar o que sentia dentro dele.

— Eu te amo. — Falei em sussurros. — Com você eu vivo um sonho.

A brisa passou novamente jogando meu cabelo para o lado. Ele sorriu, escorou-se na árvore e me abraçou. Meu corpo ficou quente depois que ele me envolveu nos braços dele, eu não precisava de mais nada.

— Quando eu toco seu corpo, sua mão, eu consigo sentir sua alma. — Michael disse apoiando a cabeça dele na minha.
Encaixei meu rosto entre as poucas curvas de seu pescoço. Talvez fosse cedo demais, para tantas declarações, talvez fosse cedo para tudo. Mas eu estava gostando...


_______________________________________________________________



Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©